Banner
Você está aqui: Home

Defensoria leva debate sobre violência doméstica a Centro Social

E-mail Imprimir

“Eu era jovem, bonita e inteligente, mas fui impedida de estudar e de trabalhar pelo meu ex-marido, que me agredia com palavras, socos e pontapés. Me dizia que eu nunca conseguiria ser feliz e montar o meu próprio negócio, mas ele estava errado. ”

Esta foi a fala da dona de casa Marlene da Silva durante a palestra promovida pelo Núcleo Maria da Penha da Defensoria Pública de Rondônia (DPE-RO) às mulheres do projeto “Construindo os Sonhos”, realizado pelo Centro Social Madre Mazzarello no bairro Socialista, em Porto Velho.

O comentário da dona de casa veio segundos após a psicóloga da DPE-RO Sarah Nachiro iniciar sua palestra sobre os ciclos da violência doméstica. “Este ciclo de violência, que vocês apresentaram, foi a história da minha vida por 36 anos, mas eu venci e dei a volta por cima com atitude e inciativa”, comenta Marlene.

Atitudes que libertam

Para o Coordenador do Núcleo Maria da Penha, Defensor Público Guilherme de Ornelas é exatamente com este pensamento transformador e libertador que o Núcleo trabalha.

“Este ciclo de violência, que vocês apresentaram, foi a história da minha vida por 36 anos, mas eu venci e dei a volta por cima com atitude e inciativa”, comenta Marlene. “Nosso objetivo aqui hoje é conscientizar vocês sobre a situação da violência doméstica e como procurar apoio para vencer este ciclo. Não oferecemos apenas o auxílio jurídico, mas todo o acompanhamento psicológico e social necessário para que a mulher crie uma estratégia para se livrar desta situação. A lei Maria da Penha não é um instrumento exclusivo de Direito Penal, e sim um instrumento de várias ações. ”

“Para isso, reunimos hoje aqui toda a equipe do Núcleo Maria da Penha: assistente jurídica, psicóloga, assistente social e estagiários, cada um apresentando um pouco sobre o que faz e como cada área pode ajudar a mulher vítima de violência doméstica”, completou o Defensor Público.

Diante da explicação, outras mulheres também começaram a se pronunciar, tornando o encontro um espaço de intenso debate e de relatos emocionados. “Eu fui esfaqueada pelo meu ex-marido, quase morri, mas estou e venci”, relata Cristiane de Oliveira.

“Eu fui esfaqueada pelo meu ex-marido, quase morri, mas estou e venci”, relata Cristiane de Oliveira.“Também vivi esta situação”, declara Josefa, 49 anos, acadêmica de serviço social. “Meu namorado, na época, era mais novo e ele me dizia que eu nunca conseguiria ficar com ninguém melhor que ele, caso eu terminasse”, conta.

Ao fim dos debates, todas as mulheres receberam panfletos sobre violência domésticas e orientações sobre como procurar o apoio da Defensoria Pública para fazer valer o seus Direitos. “Estamos aqui para dar esperanças, nosso sonho era garantir a proteção a cada mulher vítima de violência doméstica, o que não é possível, mas podemos sim conscientizar e lutas pelos Direitos de cada mulher.

Madre Mazzarello

O encontro foi organizado pela Defensoria Pública de Rondônia a pedido das responsáveis pelo Centro Social Madre Mazzarello, diretora irmã Jaqueline Pereira e a assistente social Maria José. A estagiária de psicologia, Geisiane Meireles acompanhou as palestras.

O projeto “Construindo os Sonhos” do Centro Social Madre Mazzarello reúne todas as quartas-feiras mulheres em situação de extrema vulnerabilidade pessoal e social do bairro Socialista para encontros, palestras, cursos profissionalizantes, entre outras atividades.

“São mulheres muito pobres, algumas foram abandonadas pelo marido e família e ainda têm filhos para criar e que quase sempre sofrem com a violência doméstica”, explica Maria José.

Para mais fotos do encontro clique aqui.

Joomlart