.
Banner
Você está aqui: Home

Semana do Orgulho LGBT: Visibilidade

E-mail Imprimir

Dia 28 de junho, quinta-feira, é o Dia Internacional do Orgulho LGBT, data mundialmente celebrada, que remete aos acontecimentos de 1969, no Stonewall-Inn, bar que funcionava em Nova York numa época em que não eram permitidos espaços para convivência das pessoas LGBT. Eram comuns batidas policiais e agressões aos frequentadores do local, até que houve um levante contra a perseguição da polícia às pessoas LGBT. Esse levante resultou, no ano seguinte, na organização da 1° parada do orgulho LGBT, realizada no dia 1° de julho de 1970, para lembrar o episódio.

Hoje, as Paradas do Orgulho LGBT, uma das maiores celebrações da diversidade, acontecem em quase todos os países do mundo e têm o objetivo de dar visibilidade às causas da comunidade e conscientizar a população sobre a importância do combate à homofobia para a construção de uma sociedade igualitária e livre de preconceitos.

Independente da orientação sexual e da identidade de gênero, todos são iguais perante a lei e devem ter seus direitos garantidos e respeitados. Para reforçar esta ideia e celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBT, durante esta semana vamos relembrar algumas conquistas da comunidade LGBT.

Visibilidade

Espaço, representatividade e visibilidade são de grande importância para as minorias sociais. Por meio da visibilidade é possível conscientizar, informar e lutar por mais direitos e políticas de igualdade, a fim de garantir a dignidade humana de grupos sociais em situação de vulnerabilidade.

A cada ano, a Parada LGBT busca dar visibilidade a um tema específico. Em 2018, o tema escolhido foi “Eleições 2018 – Poder para LGBTI+, nosso voto, nossa voz”, para discutir a importância de ter candidatos que se interessam pelas causas LGBTs. Em sua 22ª edição, a Parada LGBT levou cerca de 3 milhões de pessoas para as ruas.

Nos últimos anos, a população LGBT também tem conquistado cada vez mais espaço na mídia brasileira, seja em filmes, séries, novelas ou em reportagens da mídia impressa, televisiva e online.

Em 2017, a novela “A Força do Querer” levou o debate sobre transgeneridade para o horário nobre da TV aberta, através das histórias dos personagens Nonato e Ivana.

A Defensoria Pública de Rondônia (DPE-RO) aproveitou o alcance da novela e a popularidade da personagem para informar os assistidos do Estado sobre a regulamentação do nome social.

“Fizemos um meme com a foto do personagem “Ivan” e na legenda falamos sobre a cena da novela e explicamos como um assistido, em situação igual a do personagem, poderia obter ajuda através da Defensoria”, explicou a Analista em Publicidade da Assessoria de Comunicação da Defensoria Pública de Rondônia, Apoana Dantas.

O post publicado na página da DPE-RO teve um alcance orgânico de mais de 2 milhões de pessoas, obteve mais de 22 mil curtidas e mais de 4 mil compartilhamentos e comentários. Foi compartilhado pela página “Quebrando o Tabu”, onde o post recebeu mais de 20 mil curtidas. A atriz Carol Duarte, que interpretava o personagem, também compartilhou o post no seu instagram. O post no Instagram da atriz teve mais de 18 mil curtidas. E o jornal “Correio Braziliense” fez uma matéria a respeito do debate promovido pela personagem, citando a publicação da Defensoria.

Com isso, chegou ao conhecimento de pessoas do país inteiro, em situação de vulnerabilidade como a do personagem, que elas poderiam obter a retificação de registro através da Defensoria Pública de seu Estado.

Uma mídia mais inclusiva informa, conscientiza e contribui para a ampliação da visão de mundo das pessoas, para a construção da empatia entre os diferentes e para o empoderamento de pessoas que vivem às margens da sociedade.

Joomlart