Pular para conteúdo principal

DPE analisa situação dos desabrigados do rio Machado

Publicado em:

Os defensores Eduaddo Weymar e Leandro Mainardes, junto com a assistente social Suelen Cristina, estiveram no abrigo onde estão as famílias

Os defensores Eduaddo Weymar e Leandro Mainardes, junto com a assistente social Suelen Cristina, estiveram no abrigo onde estão as famílias

Pelo menos 87 famílias foram desabrigadas devido à cheia do rio Machado, no município de Ji-Paraná. Desse montante, 27 foram alojadas no ginásio de esportes Gerivaldão, as demais estão em casa de familiares. São 22 crianças e um bebê.Nesta sexta-feira, 28/02, a Defensoria Pública esteve no local para acompanhar a situação em que se encontram os alojados.

O defensor público Eduardo Weymar, coordenador do Núcelo da DPE em Ji-Paraná, parabenizou a equipe que atua junto aos desabrigados. Segundo ele, não foi detectado problemas no atendimento e no alojamento.

De acordo com o defensor, o Município está fornecendo café da manhã, lanche, almoço e jantar. O tenente Eduardo, do Corpo de Bombeiros, informou que a iniciativa privada se mobilizou para arrecadar alimentos e roupas. “No momento eles estão bem supridos”, declarou.

 

Além de Eduardo Weymar, participaram ainda do trabalho junto aos desabrigados, o defensor público Leandro Mainardes e a assistente social da DPE-RO Suelen Cristina.

Há quatro anos que a população de Ji-Paraná não enfrentava problema de cheia no rio Machado. Este ano, o rio subiu 11,68 metros. Entre quinta e sexta-feira, 28/02, ele baixou para 11,45 metros. O tenente disse que há possibilidade das águas voltarem a subir um pouco, por isso é preciso ficar atento.

 


Compartilhar