Pular para conteúdo principal

Desabrigados: instalação dos sombrites nas barracas deve ser concluída dentro de 20 dias

Publicado em:

As barracas serão dotadas também de exaustores

As barracas serão dotadas também de exaustores

Dentro de aproximadamente 20 dias será concluído o trabalho de instalação das lonas sobre as barracas que servem de alojamento aos desabrigados da cheia do Madeira, no Parque de Exposições. O objetivo das lonas é a redução do calor nas tendas.

A medida é resultado da audiência de conciliação entre os órgãos que integram o sistema de Justiça (DPE-RO, DPU, OAB, MP-RO, MPF) e o Estado, intermediada pelo juiz Danilo Augusto kenthack Paccini, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho, ocorrida em 16 de maio.

O acordo inclui ainda a instalação de exautores nas barracas, o que deve ocorrer após a conclusão da  obra dos sombrites, segundo afirmou a Defesa Civil ao defensor público Marcus Edson de Lima, que vem acompanhando o trabalho.

São 142 famílias (450 pessoas) no abrigo. Elas serão contempladas com até 50% das casas populares que estão sendo construídas pelo Estado no Bairro Mariana, na zona leste da Capital, no condomínio intitulado “Orgulho do Madeira”. São quatro mil unidades – duas mil ficarão prontas em agosto e outras duas mil em novembro. Essas moradias beneficiarão apenas os atingidos pela cheia do Madeira que residem na área urbana da cidade de Porto Velho.

O defensor público informou que próximo dia 10, às 10 horas, haverá reunião na Defesa Civil do Estado com todos os entes envolvidos de alguma forma com a questão do condomínio Orgulho do Madeira – Caixa Econômica, cartório, secretarias de ação social, construtora e os representantes dos órgãos que integram o sistema de Justiça – para que seja definido prazo de entrega das chaves.

O cadastro dos desabrigados, que está sendo feito na Emater, encontra-se em fase de conclusão. O técnico da Secretaria de Estado de Ação Social (Seas), Antônio Sena da Silva, afirmou que o cadastro não é garantia de que o possível desabrigado receberá a casa/apartamento. O técnico esclareceu que será feito uma análise minuciosa do fichário para evitar que pessoas que não tenham sido prejudicadas pela enchente sejam beneficiadas com a moradia.


 


Compartilhar

Skip to content