Pular para conteúdo principal

BS terá que restituir valores a 500 pessoas que compraram casas no Porto Madeira

Publicado em:

Os assistidos que recorreram à Defensoria Pública do Estado (DPE-RO) para reaver o dinheiro investido na aquisição da casa própria no condomínio Porto Madeira, que seria construído pela empresa BS Empreendimentos, têm até o dia 03 de novembro para providenciarem  a documentação pessoal, recibos de pagamento e contrato, para que a DPE-RO faça a petição e encaminhe ao Núcleo da Defensoria Pública em Sorriso (MT). É nessa comarca que corre o processo de pedido de falência da BS.

Os 500 assistidos serão habilitados para receberem o crédito no processo de falência da empresa. Dessa forma, à medida que os bens da BS em Sorriso forem vendidos, essas pessoas receberão os valores investidos.

Nesta segunda-feira, eles estiveram na Defensoria Pública para tomar conhecimento da decisão judicial

Nesta segunda-feira, eles estiveram na Defensoria Pública para tomar conhecimento da decisão judicial

O juízo determinou a restituição integral do dinheiro aplicado por cada um dos lesados, incluindo ainda o percentual da corretagem, mais juros de 1% ao mês, a  contar da data da publicação da sentença, e mais quatro mil referente aos danos morais. A empresa foi condenada também a pagar as custas processuais.

José Rodrigues é um dos assistidos prejudicados pela empresa. Ele investiu R$ 1.800,00. O terreno onde seria construído o condomínio, localizado próximo à fábrica da Coca Cola, foi invadido depois que a empresa abandonou o local, no final de 2010.

Os assistidos beneficiados têm até dia 03 de novembro para providenciarem documentos

Os assistidos beneficiados têm até dia 03 de novembro para providenciarem documentos

Na época, segundo afirmou José Rodrigues, a BS alegou que a construção do condomínio  se tornou inviável devido a problemas estruturais no terreno, e por não contar com a parceria da Caerd na execução da infraestrutura. A empresa deixou de construir outros empreendimentos na capital.

Devido ao trabalho de marketing, o lançamento do Porto Madeira teve grande repercussão entre a classe que recebia um pouco mais de quatro salários mínimos. A BS usou como cartão de visita a construção  da vila de Mutum Paraná, próximo ao distrito de Jacy-Paraná. A vila foi construída para atender as famílias que seriam atingidas pela barragem da Usina de Jirau.

José Rodrigues é um dos assistidos prejudicados pela empresa

José Rodrigues é um dos assistidos prejudicados pela empresa


Compartilhar