Pular para conteúdo principal

Jorge Morais de Paula é o novo corregedor-geral da DPE-RO

Publicado em:

Morais de Paula (esquerda)foi empossado pelo subdefensor público-geral Antonio Fontoura Coimbra

Morais de Paula (esquerda)foi empossado pelo subdefensor público-geral Antonio Fontoura Coimbra

O novo corregedor-geral da Defensoria Pública do Estado (DPE-RO), defensor público de Entrância Especial Jorge Morais de Paula, foi empossado na manhã desta quarta-feira, 05, pelo subdefensor público-geral do Estado, Antonio Fontoura Coimbra, para o biênio 2015/2017.

Morais de Paula substitui o até então corregedor-geral, defensor público de Entrância Especial Constantino Gorayeb Neto. Participaram da solenidade defensores públicos, servidores e o presidente da Associação dos Membros da Defensoria Pública (Amdepro), defensor público André Vilas Boas Machado.

Em seu discurso, o subdefensor público-geral deu as boas-vindas ao empossado e afirmou que a missão de corregedor-geral não é fácil. “Já estive nesse cargo por duas vezes”, disse, acrescentando que muitas vezes é preciso tomar decisões que nem sempre agradam a todos, “mas tenho certeza que a Corregedoria estará muito bem representada sob o seu comando, como vinha sendo também pelos nobres defensores Constantino Gorayeb e Hélio Vicente”.

O empossado destacou o apoio que recebeu da família ao decidir se candidatar ao cargo. “Esse foi um dos motivos que me encorajou, mas foi fundamental também para minha decisão o fato de haver unidade  entre os membros da Defensoria – todos imbuídos  com o mesmo propósito de engrandecer cada vez mais o nome da instituição”.

Ele substitui o até então corregedor-geral Constantino Gorayeb Neto (esquerda)

Ele substitui o até então corregedor-geral Constantino Gorayeb Neto (esquerda)

Ele enfatizou ainda o trabalho que o corregedor que ora deixava o cargo realizou, em parceria com o corregedor-auxiliar. Jorge Morais afirmou que dará continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado pela equipe. “Vim para inovar, mas mudar no que for preciso e pelo que venho acompanhando, a Corregedoria foi muito bem conduzida pelos dois”.

Ao despedir-se, Constantino Gorayeb ressaltou que devido ao número reduzido de defensores públicos, a Corregedoria torna-se uma tarefa árdua. Porém, segundo ele, o trabalho torna-se  ameno com o apoio de grandes aliados, ou seja, aqueles defensores públicos que estão sempre à disposição para auxiliar a Corregedoria, participando de audiências que não são da sua área de atuação. “Quero incentivá-lo a continuar essa missão, sempre pleiteando o engrandecimento da instituição”.

Amdepro

O presidente da Amdepro, André Vilas Boas(direita), falou em nome dos membros

O presidente da Amdepro, André Vilas Boas(direita), falou em nome dos membros

“Esse tipo de cargo exige muita doação, responsabilidade, por isso quero parabenizá-lo pela abnegação”, declarou o presidente da Amdepro,  destacando que o seu desejo é que a Corregedoria continue sendo um órgão de consulta, de parceria e dialogo entre os defensores  públicos. “Acredito que esse deve ser o espírito do corregedor”, declarou.

“Pode ter certeza que terá aqui  vários  defensores públicos para apoiá-lo nessa gestão”, afirmou o presidente.  Andre Vilas Boas enfatizou ainda o trabalho realizado pelo Subdefensor geral Antonio Fontoura quando foi corregedor por duas vezes, e por Constantino Gorayeb. “Ambos, juntamente com o corregedor-auxiliar, que sempre primaram pelo diálogo”.

Rondoniense

Jorge Morais de Paula  iniciou a função de defensor público em 1999, atuando inicialmente na comarca de Machadinho do Oeste, vindo em seguida  para o Núcleo da Cidadania, no antigo Shopping Cidadão, em Porto Velho. Na Capital atuou ainda no Tribunal do Juri, na Vara de Família, na 2ª Vara Criminal e ultimamente atuava no 2º Juizado da Infância.

Ele é rondoniense, natural de Guajará-Mirim. É formado pela Faculdade de Direito Riopretense,  de São José do Rio Preto (SP). Faz questão de ressaltar que foi aluno do colégio Dom Bosco, da rede Salesiana.


Compartilhar

Skip to content