Pular para conteúdo principal

Defensoria Pública capacita dois defensores públicos em mediação; curso foi na Espanha

Publicado em:

Os defensores públicos João Sismeiro e  Lúcia Pereira com os policiais que ministraram o curso na Espanha.

Os defensores públicos João Sismeiro e Lúcia Pereira com os policiais que ministraram o curso na Espanha.

A Defensoria Pública continua com a meta de investir na capacitação dos defensores públicos na área de mediação, visando à resolução de conflitos dos assistidos sem necessidade de recorrer à Justiça. Neste mês (setembro), os defensores públicos Lúcia Pereira, da comarca de Alta Floresta, e João Luís Sismeiro, da comarca de Porto Velho, participaram do Curso Intensivo de Mediação Policial, realizado na cidade de Vila-Real, na Espanha.

Esta é a segunda vez que a Defensoria Pública participa dessa capacitação. Em 2014, o defensor público Marcus Edson de Lima, na época coordenador do Núcleo de Ações Coletivas, também esteve em Vila-Real durante um mês participando da formação. Após assumir como DPGE, ele impulsionou essa ferramenta de negociação na instituição.

O curso em Vila-Real é organizada pela Escola de Formação Policial (EFOPOL), em colaboração com a Cátedra Mediação Policial da Espanha. A EFOPOL cedeu o curso ao Governo do Estado e este disponibilizou uma vaga para a Defensoria Pública em 2014. Este ano, devido ao empenho da DPE-RO na aplicação das técnicas de mediação, o Governo do Estado ofertou duas vagas para beneficiar um número maior de defensores públicos.

O DPGE, Marcus Edson de Lima, na época coordenador do Núcleo de Ações Coletivas, também fez o curso em 2104.

O DPGE, Marcus Edson de Lima, na época coordenador do Núcleo de Ações Coletivas, também fez o curso em 2104.

O conteúdo programático incluiu, além de explanações teóricas, situações práticas de mediação executadas pela equipe especializada da policia de Vila-Real. O defensor público João Sismeiro destacou o profundo conhecimento em ciências humanas por parte dos policiais que ministraram a formação. “O material é passado de forma didática e de fácil assimilação. De fato, eles merecem todo nosso reconhecimento”.

A defensora Lúcia Pereira afirmou que agora tem a missão, com o apoio da Administração Superior, de repassar aos demais pares o que aprendeu. “Vamos implementar essa nova forma de comunicação entre as partes com a certeza de que a resolução de conflitos por meio dessa técnica contribuirá consideravelmente para reduzir a sobrecarga de ações na Justiça, sendo o assistido o maior beneficiado nesse processo”, declarou.

O Defensor Público-Geral do Estado em exercício, Antonio Fontoura Coimbra, evidenciou o avanço que a Defensoria Pública vem obtendo a partir do investimento na execução do método de mediação. “Já estamos adotando esse sistema em diversas áreas, em especial na 8ª Defensoria, que atua com questões relacionadas à saúde”, concluiu.

 


Compartilhar

Skip to content