Pular para conteúdo principal

Defensoria repudia resultado de pesquisa sobre estupro

Publicado em:

A Defensoria Pública de Rondônia (DPE-RO), pelo Defensor Público-Geral Marcus Edson de Lima, manifesta a sua indignação em relação ao pensamento apresentado por uma grande parcela da sociedade que culpa as mulheres vitimas de estupro pelo próprio ato praticado contra elas.

Uma pesquisa, divulgada nesta terça (21), encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e realizada pelo Datafolha, mostra que um terço da população brasileira acredita que a culpa do estupro é da vitima. Para 42% dos homens questionados pela pesquisa, o estupro acontece, pois as mulheres não se dão ao respeito. Entre as próprias mulheres, 32% delas concordam com a afirmação.

Para o defensor público Guilherme de Ornelas, coordenador do Núcleo Maria da Penha, que atende mulheres vítimas de violência doméstica na DPE-RO, a culpabilização da vítima apenas contribui para a perpetuação da prática do estupro.

“O estupro, assim como todo o outro tipo de violência contra a mulher, está inserido num contexto, em que a vítima é tratada como um mero objeto, como um ser que não possui opiniões, direitos ou vontades próprias”, diz o defensor. Para ele, a desumanização da mulher é um dos fatores principais para o acontecimento e para a banalização da prática do estupro.

“Estes números apenas refletem o quanto o pensamento do nossa sociedade continua arraigado aos preconceitos machistas e sexistas. É a cultura do estupro.”, diz Guilherme de Ornelas. “A culpa nunca é da vitima, não importa como ela esteja vestida ou como se comporte. O único responsável pelo estupro é o estuprador”, conclui.

 


Compartilhar

Skip to content