Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Condege publica Nota Pública sobre propostas de alteração da legislação penal

Publicado em:

O Defensor Público-Geral do Estado de Rondônia, Marcus Edson de Lima, e Presidente do Colégio Nacional dos Defensores Públicos-Gerais emitiu nesta segunda, 04, uma nota sobre as propostas de alteração na legislação do sistema penal brasileiro pelo Governo Federal.

O texto publicado segue abaixo e também pode ser acessado no site do Condege.

“Nota Pública

O Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais expõe publicamente sua apreensão frente às propostas apresentadas na manhã desta segunda-feira, 04, pelo Governo Federal, as quais pretendem alterar a legislação referente aos Códigos Penal e de Processo Penal e à Lei de Execuções Penais brasileira.

O Condege entende que é necessário um debate permanente para o aperfeiçoamento e reforma dos Códigos Penal e de Processo Penal, e reafirma que tal debate deve acontecer dentro de espaços destinados a essa seara, como é o caso do Congresso Nacional, em que já existem projetos e propostas de alterações legislativas que versam sobre o tema.

Além do mais, o Colégio enxerga nas propostas apresentadas inúmeras violações de princípios constitucionais como: a presunção de inocência, individualização da pena e do devido processo legal, o acordo penal, a ampliação da subjetividade judicial na aplicação das penas e de seus regimes de cumprimento.

Projetos que se destinem a melhorar a eficiência do sistema penal brasileiro não podem ir de encontro ao exercício do direito de defesa dos indivíduos, que é legítimo e advém das garantias fundamentais asseguradas a cada brasileiro.

A Comissão de Direito Criminal do Condege elaborará um parecer técnico apontando as principais críticas ao novo projeto, esmiuçando-o dispositivo a dispositivo, com a finalidade de propor o debate sobre o tema.

As Defensorias Públicas do país reafirmam seu papel constitucional de promotoras dos direitos humanos e defensoras das populações vulneráveis, enfatizando que estarão mobilizadas e articuladas junto à sociedade civil organizada com o objetivo de levar ao Parlamento e ao Governo Federal a experiência institucional nas áreas afetadas pelo Projeto, sempre no objetivo de preservação dos direitos e garantias fundamentais.”

Marcus Edson de Lima
Presidente do Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais e Defensor Público-Geral do Estado de Rondônia


Compartilhar