Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

DPE-RO e MPT juntos no Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha

Publicado em:

Dados do Observatório Digital do MPT (smartlab.mp.br) revelam que em Rondônia a média salarial da mulher negra é metade da média salarial da mulher branca e duas vezes menor que a média salarial do homem branco

Nesta quinta-feira, dia 25 de julho, é celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, sendo este também o Dia Nacional de Tereza de Benguela (líder quilombola) e da Mulher Negra (Lei nº 12.987/2014).

A data, surgida em 1992 durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, realizado na República Dominicana, marca a criação da Rede de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-Caribenhas.

A ação do Ministério Público do Trabalho e da Defensoria Pública do Estado de Rondônia, com o lema “A luta por representatividade, respeito e igualdade da mulher negra deve ser de todos”, conta com a divulgação de arte e dados nas mídias sociais dos órgãos assim como exposição em outdoor na cidade de Porto Velho/RO.

O Procurador do Trabalho e Coordenador Regional da Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho – COORDIGUALDADE, Carlos Alberto Lopes de Oliveira, ressalta a importância da data para reforçar a luta por igualdade e representatividade da mulher negra no trabalho.

Em suas palavras “Ainda são enormes as distorções de oportunidades e emprego para mulheres, e ainda maiores para mulheres negras. Dados do Observatório Digital do MPT (smartlab.mpt.mp.br), extraídos do último censo do IBGE, apontam que, no Estado de Rondônia, enquanto a média salarial de um homem branco é de 3 salários-mínimos ao mês, a de uma mulher branca é de 2 salários-mínimos, sendo a de uma mulher negra apenas 1 salário mínimo”.

Em Rondônia, o Defensor Público-Geral, Hans Lucas Immich, destaca que “É atribuição institucional da defensoria pública a busca por igualdade e acesso à justiça a todas as mulheres vítimas de qualquer preconceito, lesão ou ameaça a direito.”

Texto: Ascom MPT-RO
Arte: Alexandre Lúcio Fernandes – Ascom DPE-RO
Criação: Apoana Dantas Freire – Ascom DPE-RO


Compartilhar