Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Defensor Público Fábio Roberto palestra sobre papel do Parlamento e do povo na sociedade, na ALE-RO

Publicado em:

A Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) se fez presente também no encerramento das comemorações dos 36 anos da Constituição rondoniense, com a apresentação do defensor público e professor universitário Fábio Roberto de Oliveira, que falou sobre o papel do Parlamento e do povo na sociedade atual.

Fábio apresentou o painel 2 do dia (A representação política, suas vicissitudes e o modelo ideal do parlamento brasileiro), juntamente do professor e sociólogo Vinícius Miguel. A mediação do painel foi realizada pela jornalista Sara Xavier.

Fábio Roberto, com a palestra “O Constitucionalismo Popular, a Educação Cidadã Emancipatória e o Parlamento em uma sociedade de risco: desafio ou utopia?”, levantou a discussão acerca do papel do povo no processo de interpretação de nossa Constituição.

O Defensor Público indagou ao público do evento no início de sua fala. “De quem é a última palavra no processo político-interpretativo da Constituição? Qual a importância do povo no processo de interpretação constitucional? Qual o papel do Parlamento na construção da identidade constitucional?”.

Segundo o Defensor Público, “É preciso pensar para além da moldura do modelo de revisão, sem demonizá-lo; é preciso recuperar a mobilização popular no processo decisório político-constitucional, bem como ampliar um sentido participativo-emancipatório em que a comunidade participe do processo interpretativo das normas constitucionais.”, pontuou.

“Para tanto, precisamos de um Parlamento mais próximo da população e que promova, por meio da educação legislativa, a cidadania emancipatória”, afirmou o Defensor Público.

Segundo ele, isso não significa dizer que o Poder Judiciário é desimportante para o sistema político-constitucional. “Pelo contrário, consolida a sua importância, junto aos outros poderes, no papel de envolver a população na dinâmica de tomada de decisões coletivas, a partir da ideia de cidadania emancipatória (autonomia e liberdades sem manipulações)”, afirmou.

Ao final de sua fala, Fábio respondeu perguntas e questionamentos de universitários presentes, além de conceder uma entrevista à ALE-TV sobre a Constituição do Estado e sobre o papel da Defensoria Pública e dos defensores públicos para efetivação dos dispositivos constitucionais.


Compartilhar