Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Seminário das Ouvidorias Públicas provoca debates sobre democracia participativa

Publicado em:

Na noite desta quarta-feira, 18, a Defensoria Pública do Estado de Rondônia realizou o I Seminário das Ouvidorias Públicas na reitoria do Instituto Federal de Rondônia (IFRO). O evento reuniu a população, representantes de movimentos sociais organizados e diversas autoridades para debater o tema: “O papel das Ouvidorias Públicas na promoção do diálogo junto à sociedade civil”.

“O sentido da Ouvidoria é estabelecer uma ponte entre a Defensoria Pública e a população, fortalecendo o diálogo e buscando mediar conflitos. Quanto mais forte e fomentada for a Ouvidoria, menos conflitos existirão e melhor será a prestação do serviço público ao cidadão. Atenta a isso foi que a Defensoria de posse à primeira Ouvidora-Geral da insitituição, Valdirene de Oliveira, e fomentou à Ouvidoria”, explicou o Defensor Público-Geral, Hans Lucas Immich, que declarou aberto o evento.

Junto dele compuseram a mesa: a Presidenta da Associação dos Membros da Defensoria Pública de Rondônia (Amdepro), Silmara Borghelot, a Diretora do Centro de Estudos da DPE-RO, Alessandra Martins Milaré, o Reitor do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), Uberlando Tiburtino Leite, e a Ouvidora-Geral da DPE-RO, Valdirene de Oliveira.

“Hoje nós temos Ouvidorias Públicas funcionando em 14 Defensorias Públicas Estaduais. Nosso plano é ampliarmos isso para todas as 27 Defensorias Públicas dos Estados e do Distrito Federal”, explicou a Ouvidora-Geral da DPE-RO, Valdirene de Oliveira. “As Ouvidorias devem ser ferramenta de democracia participativa. Quando a sociedade civil participar de nossa gestão junto ao órgão, mais eficiente vai ser a atuação deste órgão.

Palestras da noite

Três palestrantes proferiram suas palestras na noite desta quinta-feira, 18. O Ouvidor-Geral da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Strozemberg, falou sobre o tema Ouvidoria um Espaço de Participação, discorrendo sobre sua atuação.

“Infelizmente, as pessoas que moram nas favelas do Rio de Janeiro não procuram a Defensoria, pois não acreditam e não confiam na Justiça. O que nós fazemos então é promover a atuação da Defensoria Pública, buscando visibilidade na mídia, por meio da Ouvidoria Pública. Esta é uma forma de atuação conjunta entre Ouvidoria e Defensoria”, explica.

A segunda palestrante foi Solene da Costa, Ouvidora-Geral do Estado do Acre, que falou sobre a democratização do acesso à justiça por meio das Ouvidorias externas. “Qual é o perfil dos ouvidores que nós queremos para o sistema de Justiça? Nosso perfil é ser anticapitalista, temos que sair de nossos gabinetes e entender as comunidades, temos que ouvir as pessoas e identificar os anseios da sociedade organizada”, explicou.

O último palestrante da noite foi o professor Doutor da Universidade Federal de Rondônia, Luís Fernando Novoa Garzon, que discorreu sobre a crise da representação e o papel das Ouvidorias Públicas na reconstrução de interfaces institucionais.

“Nós precisamos fazer capacitações para que possamos participar das audiências públicas que acontecem em nossas comunidades. E eu vejo na parceria do Instituto Federal de Rondônia, com a Defensoria Pública do Estado, um meio de pensar e promover estes cursos e capacitações, para chegarmos mais preparados a estas audiências”.


Compartilhar