Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Em conciliação de sucesso, Nurec da DPE soluciona problema de assistido vítima de acidente

Publicado em:

O Núcleo de Resolução Extrajudicial de Conflitos (Nurec) continua realizando conciliações de sucesso e resolvendo os problemas dos assistidos em diversas áreas. No último dia primeiro de julho (1), o Nurec conseguiu solucionar o problema do assistido Elisson Marques Alves, que havia se envolvido em um acidente de trânsito, o que ocasionou diversos danos ao seu veículo.

Como relata o assistido, o mesmo havia se envolvido em um acidente com um caminhão de uma empresa de transporte de Porto Velho, o que deixou o veículo Fiat/Palio de Elisson Marques severamente danificado.

“Quem indicou a Defensoria Pública para mim foi uma amiga minha que é advogada. Como não consegui um acordo diretamente com a empresa, eu necessitei do auxílio da Defensoria, pois eu dependo do carro para me locomover, pois tenho problemas físicos e realizo tratamentos de saúde”, explica Elisson Marques.

Diante do problema exposto, o assistido conseguiu o atendimento do Núcleo de Resolução Extrajudicial de Conflitos (Nurec) da Defensoria Pública. Ao todo, foram realizadas três sessões de conciliação envolvendo o assistido, a empresa de transportes e posteriormente a seguradora contrata por Elisson Marques.

Ao final das tratativas, o carro de Ellison Marques já havia passado por todos os reparos necessários, bem como o assistido foi reembolsado no valor de R$ 200 pelos gastos com transporte, no período em que ficou sem seu veículo. “O atendimento da Defensoria Pública foi muito bom. Consegui resolver tudo por telefone e fui muito bem atendido”, finaliza o assistido.

A última sessão, no dia 01 de julho, resultou na assinatura do Termo de Sessão de Conciliação entre as partes, em que o defensor público Rafael de Castro Magalhães referendou o acordo entre as partes. “O presente acordo é válido, motivo pelo qual o referendo para que surtam seus efeitos legais nos exatos termos e limites do que foi descrito acima, servido o presente documento como título executivo extrajudicial, conforme previsão do artigo 784, IV, do CPC, e artigo 4º, § 4º, da Lei Complementar Federal n. 80/1994”, registrou o defensor público.


Compartilhar