Pular para conteúdo principal

Defensor Público-Geral Participa do lançamento da campanha “Onde Há Defensoria, Há Justiça E Cidadania”

Publicado em:

O Defensor Público-Geral, Hans Lucas Immich, esteve presente, na última quinta-feira (05), no evento de lançamento da campanha Onde Há Defensoria, Há Justiça e Cidadania, da Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep).

A solenidade ocorreu no pátio da Câmara Legislativa do Distrito Federal em Brasília, e contou com a presença de defensoras e defensores públicos de todo o país, bem como servidoras e servidores. A Presidenta do Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais, Estallamaris Postal, também esteve presente representando o Condege. A presidenta da Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado de Rondônia (Adepro), e Coordenadora do NUDEM da DPE-RO, defensora pública Débora Machado Aragão, também esteve presente no evento.

A campanha tem duas linhas de sensibilização. A primeira destaca os serviços prestados pelas Defensoras e Defensores Públicos às pessoas necessitadas que precisam de auxílio para garantia dos seus direitos e resolução de conflitos. Ao mesmo tempo, a segunda linha de sensibilização trará luz sobre o olhar necessário de fortalecimento de aspectos estruturantes da Defensoria Pública.

Defensor Público-Geral juntamente à Presidenta da Adepro, Débora Machado Aragão.

Entre as autoridades presentes, também estava a Presisdenta da Anadep, Rivana Ricarte que explicou a importância do ato de lançamento da campanha ocorrer dentro do espaço do legislativo, uma vez que o trabalho de defensoras e defensores públicos instrumentaliza direitos da população que são resultados de leis produzidas pelo poder legislativo.

O Defensor Público-Geral, Hans Lucas Immich, também destaca a importância da campanha nacional. “Fortalecer a Defensoria Pública é fortalecer a cidadania, pois leva à garantia do cumprimento da Justiça às pessoas mais pobres e vulneráveis que em geralmente necessitam do auxílio da instituição para conseguirem o acesso ao Sistema Judiciário e à defesa dos seus pleitos e direitos”, ressalta.


Compartilhar