Pular para conteúdo principal

Defensoria Pública realiza 1º Seminário sobre a inserção das Pessoas Trans no Mercado de Trabalho

Publicado em:

A Defensoria Pública do Estado de Rondônia, por meio do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos e da Coletividade (Nudhc), Centro de Estudos, Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem) e Ouvidoria-Geral da instituição, vai realizar no próximo dia 27 de junho, segunda-feira, das 14h às 18h, o 1º Seminário sobre a Inserção das Pessoas Trans no Mercado de Trabalho.

O evento será realizado no auditório do prédio-sede da Defensoria Pública do Estado de Rondônia e contará com transmissão ao vivo pelo canal do youtube da instituição. As vagas presenciais serão limitadas. Para realizar a inscrição bastar acessar o formulário: https://forms.gle/cX1aS5y2uYp4feCe9.

Ao todo, três palestrantes realizarão exposições e falas durante o evento: Karen de Oliveira, coordenadora do Grupo COMCIL. Coordenadora Norte da REDE RNHTT (Rede Nacional de travestis, transexuais e homens trans vivendo e convivendo com HIV e AIDS); Dionísio Descry, formado em Direito pela Faculdade Católica de Rondônia, pós-graduado em Direito Previdenciário e em Direito Público avançado, secretário da comissão de diversidade sexual LGBTQI+ da OAB-RO; e Carlos Alberto Lopes de Oliveira, Procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho em Rondônia e Acre (MPT-ROAC) e Coordenador Regional da Coordenador Regional da COORDIGUALDADE (Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho do MPT).

O evento conta com a mediação das defensoras públicas Débora Machado Aragão, Coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (NUDEM) da Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE RO) e Presidenta da Associação das Defensoras Públicas e dos Defensores Públicos do Estado de Rondônia (Adepro); e Silvia Primila Garcia Raskovisch, diretora do Centro de Estudos da instituição. O defensor público Eduardo Guimarães Borges, coordenador do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos e da Coletividade da Defensoria Pública, vai atuar como Presidente da Mesa de debates durante o evento.

Mês do orgulho LGBT

O 1º Seminário sobre a inserção das Pessoas Trans no Mercado de Trabalho será realizado em alusão ao Mês do Orgulho LGBTQIA+ (junho), e em homenagem ao dia 28 de junho, dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, data que remonta ao ano de 1969, em revoltosos iniciaram uma rebelião no bar Stonnewall, em Nova Iorque, contra à repressão policial que acontecia contra indivíduos LGBT no local. Após o episódio, uma série de manifestações pelos direitos e liberdade da população LGBT se seguiria, dando origem às primeiras paradas pela diversidade e orgulho da comunidade.

Em relação à população Trans e Travesti no Brasil, um estudo divulgado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), revela que só em 2019, 124 pessoas Trans e Travestis foram assassinadas no país, reforçando o dado que o Brasil é o país que mais mata pessoas Trans. A expectativa de vida desse público é de 35 anos, metade do resto da população brasileira.

Além disso, segundo um levantamento da própria Antra o preconceito contra pessoas Trans e Travestis (transfobia), faz com 90% dessas pessoas tenham a prostituição como única fonte de renda e 72% não possuem ensino médio completo.


Compartilhar

Skip to content