Pular para conteúdo principal

Centro de Estudos da Defensoria Pública e Nudem realizam Roda de Conversa em homenagem ao “Julho das Pretas” no Centro de Ressocialização Sueli Maria Mendonça

Publicado em:

No mês de julho é comemorado no Brasil, o movimento conhecido como Julho das Pretas: uma ação de incidência política e agenda conjunta e propositiva com organizações e movimento de mulheres negras do Brasil, em alusão ao Dia Internacional da Mulher Negra Afro Latina Americana e Caribenha, dia 25 de julho.

Nesse contexto, a Defensoria Pública do Estado de Rondônia, por meio do Centro de Estudos e do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), em parceria com o Grupo de Pesquisa Ativista Audre Lorde e com a Cáritas Arquidiocesana de Porto Velho, vai realizar uma Roda de Conversa em homenagem ao “Julho das Pretas” no Centro de Ressocialização feminino Sueli Maria Mendonça em Porto Velho, nesta quarta-feira, 20, a partir das 8 horas.

O evento vai contar uma apresentação cultural das servidoras da Defensoria Pública Silvânia Pinto de Souza e Débora Lee Abreu Magalhães de Sá, que apresentaram números musicais para os presentes. Logo após, acontece a Roda de Conversa com a presença de debatedoras e debatedores, com a participação das mulheres em situação de privação de liberdade que se encontram no Centro de Ressocialização.

Entre os integrantes da Defensoria Pública que participarão da Roda de Conversa estão: a defensora pública Sílvia Raskovisch, Diretora do Centro de Estudos; a defensora pública Débora Machado Aragão, Coordenadora no Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem); a defensora Rithyelle de Medeiros Bissi do Nascimento, que atua na área de Execução Penal; e o defensor público Fábio Roberto de Oliveira Santos, que atua no Núcleo Cível de Porto Velho.

Além das defensoras e defensores, também participam do debate como convidados: a advogada especialista em Direito de Família, Vice-presidente da Comissão de Igualdade Racial e Verdade da Escravidão Negra, Brígida Amanda Oliveira Rodrigues; a coordenadora estadual do Programa “Fazendo Justiça do CNJ”, em parceria com o PNUD/ONU, pesquisadora na área de Justiça Criminal e Membra da Frente Estadual pelo Desencarceramento do Rio de Janeiro, Ariane Caçador Martins; e o advogado e Pesquisador do CNPq e do grupo de pesquisa e intervenções sobre violência e subjetividade da faculdade de psicologia da UFC, o doutorando em Sociologia, Marcus Giovani Ribeiro Moreira. Por fim, um lanche será servido a todas e todos pela Cáritas Arquidiocesana de Porto Velho.


Compartilhar

Skip to content