Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Defensoria Pública de Rondônia participa de seminário alusivo aos 10 anos do Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura

Publicado em:

Na tarde de quinta-feira, 23, a Defensoria Pública do Estado de Rondônia integrou o rol de instituições que participaram do seminário alusivo aos 10 anos do Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura (CEPCT/RO) que ocorreu no auditório do Fórum Desembargador Francisco César Soares Montenegro, em Porto Velho.

O evento contou com mesa de honra formada por representantes de instituições, sendo a Defensoria Pública representada pela Diretora do Centro de Estudos, Késia Gonçalves de Abrantes Neiva.

Em sua fala, a defensora pública destacou a responsabilidade dos principais atores jurídicos no combate às práticas de tortura. “Uma sociedade que está presa na escravidão e na ditadura padece de ignorância, e nós, defensores e defensoras, advogados e advogadas, juízes(as) e promotores(as), temos um dever muito importante no combate à tortura, porque somos nós que descemos aos porões da ditadura velada presente até hoje”, ressaltou Késia Gonçalves.

Logo após o desfazimento da mesa de honra, teve início o ciclo de palestras, que contou também com a participação do defensor público André Henrique de Marques Pinto Caracas que ministrou a primeira palestra do dia com o tema: Condições Carcerárias, Tortura e Maus Tratos à Pessoas Privada de Liberdade.

Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Tortura

O Comitê Estadual para Prevenção e Combate à Tortura no Estado de Rondônia (CEPCT/RO) é um colegiado de natureza deliberativa, de atuação permanente, autônomo e não jurisdicional, criado pela Lei Estadual nº 3.262, de 5 de dezembro de 2013. Tem como marco legal o Protocolo Facultativo à Convenção Contra a Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos e Degradantes de2002, e promulgado no Brasil pelo Decreto nº 6.085/2007 e pela Lei nº 12.847/2013. O Comitê é composto pelo poder público e pela sociedade civil, contendo representantes dos diversos órgãos e entidades, como a Defensoria Pública do Estado de Rondônia.


Compartilhar

Pular para o conteúdo