.
Banner
Você está aqui: Home

São Paulo: DPE-RO coordena 1ª Reunião da Comissão de Tecnologia do Condege

E-mail Imprimir

A primeira reunião da Comissão de Tecnologia do Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais aconteceu nesta sexta-feira, 28, na cidade de São Paulo, na sede do Tribunal de Contas do Estado.

Representantes de 22 Defensorias Públicas estiveram presentes para discutir meios e construir um trabalho em conjunto de desenvolvimento tecnológico das instituições que consiga acompanhar as mudanças e as inovações tecnológicas contemporâneas.

“A comissão de tecnologia foi proposta em maio, diante da preocupação dos Defensores Públicos-Gerais com a área de tecnologia dentro das instituições. O esforço conjunto foi tanto que em menos de 30 dias conseguimos reunir quase todas as Defensorias Públicas para tratar de tecnologia aqui em São Paulo”, explica o Coordenador da Comissão de Tecnologia do Condege, Defensor Público e Chefe de Gabinete da Defensoria Pública do Estado de Rondônia, Kelsen Henrique Rolim dos Santos.

Segundo ele, a primeira reunião é um marco de como as Defensorias Públicas vão encarar o desenvolvimento tecnológico nos próximos anos. “Resolvemos encarar isso em conjunto, pois se somarmos forças conseguiremos aprimorar ou criar sistemas e ferramentas que potencializem a capacidade de atendimento das instituições aos assistidos, para que cada vez mais consigamos um atendimento de excelência para a população”, afirma o Coordenador da comissão.

“Hoje já temos alguns exemplos de trabalho em conjunto entre defensorias que deram certo. O Sistema Solar de atendimento ao assistido, por exemplo, já é utilizado por 14 Defensorias Públicas, que trabalham diariamente em seu aprimoramento”, explica. “Isso é o que chamamos de intercâmbio de tecnologia: ao invés de um programador ou uma equipe de T.I. trabalhando no desenvolvimento de um determinado programa ou sistema, teremos mais resultados se somarmos forças das equipes em cada defensoria trabalhando em conjunto”.

“Não adianta tratar a tecnologia como um fim em si mesmo, pois o objetivo da tecnologia na Defensoria Pública é desenvolver a nossa atividade finalística enquanto Defensores públicos. Essa comissão tem esse papel de unir os gestores e os Defensores Públicos ao pessoal da tecnologia”, conclui Kelsen Henrique.

Planejamento e ações

A primeira pauta da reunião da Comissão de Tecnologia do Condege foi a de organizar a própria comissão. O trabalho foi dividido em coordenadorias, em que cada equipe de tecnologias das Defensorias ficou responsável por um assunto. Logo após, os participantes da comissão comprometeram-se a realizar um amplo diagnóstico da estrutura tecnológica das defensorias públicas em âmbito nacional.

Também foram discutidas a formulação de Acordo de Cooperação Técnica entre as defensorias públicas estaduais para intercâmbio de sistemas e funcionalidades e desenvolvimento colaborativo e a Implementação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU) em âmbito nacional.

Outras pautas debatidas foram a discussão sobre comitês gestores de programas em desenvolvimento colaborativo e o compartilhamento de documentos e experiências entre defensorias.

Equipe da Defensoria Pública de Rondônia

Além do Defensor Público Kelsen Henrique Rolim dos Santos, participaram da reunião também a chefe da Divisão de Tecnologia da Informação da DPE-RO, Pâmela Carvalho e o Analista Programador Uillian Bruno Lima dos Santos.

 

Joomlart