Núcleo de Resolução Extrajudicial da DPE apresenta Índice de sucesso em conciliações de 90 por cento

Imprimir

Em se falando de conciliações, as conciliações frutíferas são todas aquelas que resultam em acordo entre as partes, ou seja, são aquelas que realmente obtiveram o sucesso esperado. Nesse sentido, o Núcleo de Resolução Extrajudicial de Resoluções de Conflitos (Nurec) da Defensoria Pública de Rondônia vem obtendo um índice de conciliações frutíferas de 91,4%. Entre as principais questões solucionadas, estão as que envolvem o divórcio consensual, mais de 65% das mediações. Entre outras questões atendidas, estão as de guarda e visitas de filhos, alimentos, e ações de cobrança, restituição e despejo.

“As atividades do Núcleo de Resolução Extrajudicial estão avançando bastante, estamos conseguindo mais adesão com o passar do tempo. Os assistidos estão conhecendo o Núcleo e seu potencial de resolver o problema de forma mais ágil, mais simples e sem burocracia, sem aquele tormento que o processo judicial traz para a vida das pessoas. Dessa forma, eles vão passando a aderir mais a ideia da conciliação e autocomposição extrajudicial”, explica o coordenador do Nurec, defensor público Rafael de Castro Magalhães.

“Com o Núcleo de Resolução Extrajudicial de Conflitos, a Defensoria Pública do Estado de Rondônia vem demonstrando que a Conciliação é sim uma saída efetiva para resolução dos problemas entre as partes, evitando-se assim a judicialização dos casos e contribuindo para a rápida solução dos conflitos”, afirma o Defensor Público-Geral, Hans Lucas Immich.

Segundo Rafael de Castro Magalhães, o índice de acordo positivo só foi possível com uma união de esforços entre os Núcleos da Defensoria Pública. "Esse resultado positivo só foi possível devido à união de esforços, primeiro da Administração Superior por encaminhar as diretrizes e confiar no nosso trabalho, ao grupo do primeiro atendimento do Tudo Aqui, manhã e tarde, e do Posto Avançado da Zona Leste por agendar os casos que chegam para a Defensoria Pública e, principalmente, para a competente equipe do NUREC, cujas conciliadoras demonstraram desenvoltura e aptidão para as práticas de soluções consensuais, tratando cada caso com o cuidado e carinho que merecem. Esse é o caminho", afirma.

Como faço para ser atendido

O defensor público Rafael de Castro Magalhães, explica que para ser atendido pelo Nurec, basta que os assistidos procurem o Núcleo de Primeiro atendimento da DPE-RO, que é a porta de entrada da instituição. “Após serem direcionados para atendimento no Nurec, os assistidos passam por um agendamento para que, no intervalo de uma semana e meia, no máximo duas semanas, sejam chamados a participarem da reunião de conciliação propriamente dita, por meio de chamada de vídeo online”, explica o defensor público.

Como explica o defensor público, se houver acordo, no mesmo momento, é lavrado um termo, com a assinatura do defensor público, que ratifica e referenda o documento. Nos casos que não há necessidade de homologação judicial, o termo já adquire força de título executivo. Nos casos que precisam de homologação judicial, como divórcio ou dissolução de união estável que envolvam filhos menores, o defensor público referenda o termo e encaminha o processo para a Vara específica do Poder Judiciário, e em prazo de mais ou menos um mês e meio, os assistidos recebem as suas homologações.

Como explica o defensor público, as conciliações têm acontecido de forma virtual por meio do aplicativo de reuniões do Google Meets, e sem grandes dificuldades de acesso pelos assistidos, que tem demonstrado facilidade em acessar as chamadas virtuais. “Isso acontece em razão de uma maior democratização do acesso à internet, do uso de smartphones, pois tudo é feito do próprio celular dos assistidos sem muitas dificuldades”, explica o defensor público.