Defensores Públicos participam de projeto de Educação em Direitos da Pastoral Nacional da Saúde

Imprimir

No último dia 19 de junho, sábado, a defensora pública Flávia Albaine e o defensor público Fábio Roberto de Oliveira participaram de forma virtual do segundo módulo do projeto de educação em direitos da Pastoral Nacional da Saúde, abordando o tema: “O direito à saúde e a luta por inclusão social da pessoa com deficiência: educação, parcerias e acessibilidade”.

Os defensores públicos abordaram aspectos teóricos e práticos do direito à saúde de pessoas com deficiência e analisaram as possibilidades práticas de atuação da instituição Pastoral de Saúde na efetivação do direito à saúde de pessoas com deficiência.

Este é o segundo módulo de um projeto de Educação em Direitos promovido pela Pastoral Nacional da Saúde em conjunto com defensoras e defensores públicos para debater o tema: Direito à Saúde e Acesso à Justiça. O defensor público Fábio Roberto dos Santos organizou os módulos em conjunto com o Coordenador da Pastoral da Saúde Nacional, Alex Gomes da Motta, e com a Diretora da Pastoral, Marlene.

“A Pastoral da Saúde Nacional me procurou para que fizéssemos 2 módulos de palestras falando do Direito à Saúde e Acesso à Justiça. No 1º módulo, que aconteceu no último dia 24 de abril, convidei a defensora pública Júlia da Defensoria Pública do Amazonas, e abordamos o tema: O Acesso à Justiça e o Direito à Saúde em uma sociedade covidiana: Sociedade civil organizada e Defensoria Pública”, explica o defensor público Fábio Roberto.

A defensora pública Flávia Albaine ressaltou os pontos positivos dessa parceria. “A Pastoral Nacional da Saúde é formada por pessoas do Brasil inteiro. E a troca com eles foi muito rica. Desta forma, os componentes da Pastoral ganharam mais conhecimento e mais autonomia nas suas possibilidades de atuação e nós (Defensores Públicos) tivemos a oportunidade de aprender também um pouco mais sobre o trabalho do Terceiro Setor, que é composto por organizações sem objetivos de lucro e dedicadas às questões sociais”, ressaltou a defensora pública Flávia Albaine.

Pastoral Nacional da Saúde

A Pastoral Nacional da Saúde nasceu da união de pessoas em todo o Brasil com o objetivo de acolher, promover, cuidar, educar, defender e celebrar a vida humana. Desde 1986, a Pastoral Nacional da Saúde integra oficialmente a rede de Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Se apresenta como um organismo de ação social e sociedade cívico-religiosa, organizada por tempo indeterminado e com sede itinerante, sem fins lucrativos e legalmente constituída por Estatuto e Regimento Interno próprios. Desenvolve o seu trabalho em três áreas de atuação: Solidária, Comunitária e Político-Institucional.