.
Banner
Você está aqui: Home

Ressignificando Histórias: Nudem finaliza primeiro grupo de encontros on-line de mulheres assistidas

E-mail Imprimir

O Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem) da Defensoria Pública do Estado de Rondônia encerrou no último dia 01 de julho, o seu primeiro grupo de encontros virtuais com mulheres assistidas pelo Núcleo, nomeado de “Ressignificando Histórias: Grupo de Encontro para Mulheres”. Os encontros tiveram início no dia 13 de maio, totalizando sete encontros ao longo do período.

“O objetivo principal foi o de possibilitar um espaço de fala e escuta a mulheres vítimas de violência atendidas pela DPE-RO, no intuito de oferecer suporte às situações vivenciadas e condições facilitadoras para fortalecimento de suas potencialidades, visando seu bem-estar e proteção”, explica a coordenadora do Nudem, defensora pública Débora Machado Aragão.

Segundo a defensora pública, foi formado um grupo fechado com sete participantes, selecionadas com base nas fichas de atendimento inicial, seguindo o critério de inclusão baseado na manifestação de sofrimento psicológico em razão das situações de violência vivenciadas.

“Os resultados do primeiro grupo foram ao encontro do que era esperado, possibilitando às mulheres que participaram um espaço de acolhimento e fortalecimento, através da inserção em uma nova rede social, onde puderam desenvolver suas potencialidades e fortalecer os vínculos entre elas”, ressalta Débora Aragão.

Para a segunda oferta, a coordenadora do Nudem prevê a necessidade de restruturação do grupo, totalizando um total de 8 encontros, sendo quatro encontros abertos e quatro fechados, que acontecerão por meio do aplicativo Google Meets. A equipe de psicologia atuante no primeiro grupo de encontros é formada pelas facilitadoras Claudiana Linhares, Dyana Cristhina de Freitas, psicólogas da DPE-RO, e Safira Ueno, estagiária de psicologia. Para a segunda etapa do projeto, a defensora pública Débora Machado prevê a inclusão da estagiária de Assistência Social Letícia Nascimento à equipe.

Depoimentos das assistidas

Duas assistidas que participaram do grupo de encontros Ressignificando Histórias relataram suas experiências por meio de depoimentos escritos que seguem abaixo.

“Minha experiência com o grupo Ressignificando vidas foi maravilhoso, quando fui convidada a participar eu estava passando um período muito doloroso da minha vida, com o fim de meu casamento de 22 anos, temos 3 filhos, e o fim desse casamento não foi amigável, envolvendo violências e ameaças, tive que recorrer a medida protetiva. Me lembro do primeiro encontro, como estava com as feridas bem abertas, foi um pouco doloroso tocar e reviver tudo que se tinha passado comigo os últimos meses de separação, porém ao decorrer dos encontros, foi como alívio nessas mesmas feridas que doíam antes, não que não lembro, sim, porém não mais com tanta dor”, relata uma das participantes do grupo.

Outra participante também registrou sua experiência com o grupo. “Quero aqui tentar , expressar a minha gratidão ao Grupo Ressignificando Histórias, foi muito bom participar, me deixou uma mulher mais forte , confiante e pronta para seguir em frente, eu estava fraca e sem rumo e achando que não era capaz de superar mais este grupo foi fundamental para me fortalecer e mostrar que nós mulheres podemos tudo, só não podemos nos submeter a relacionamentos abusivos e tóxicos que nos deixa sem vontade de viver a vida, que é maravilhosa demais, não podemos aceitar somos fortes não somos “sexo frágil”. Obrigada a toda equipe e todas que participaram que contaram um pouco de sua história. Não desistirei de ser feliz”.

Visão da equipe de Psicologia

A equipe de psicologia do Nudem realizou um balanço do trabalho realizado com as mulheres assistidas pelo Núcleo.

“Foi muito gratificante acompanhar cada encontro do grupo Ressignificando Histórias, ao longo dos encontros percebemos a evolução dessas mulheres, o quanto a violência doméstica enfraquece o corpo e a alma de uma mulher, perceber que o nosso trabalho auxilia e ajuda no enfrentamento da violência de gênero. No início contaram suas histórias com muita dor e sofrimento, pensando se conseguiriam enfrentar esse momento de decisão de não querer mais viver assim, sentiram-se inseguras, mas com o passar de cada encontro foram identificando fatores em suas histórias, até mesmo semelhanças, construindo os laços para superarem essa situação e quando isso aconteceu se olharam com mais amor, com mais respeito, com olhar mais leve sobre si mesmas e sobre as possibilidades do futuro. Percebendo-se mães maravilhosas e principalmente mulheres fortes capazes de se reerguerem”.

Joomlart
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner