Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Em Roraima, programa Defensoria Sem Fronteiras chega a sua última etapa

Publicado em:

Esta é a última semana do projeto Defensoria Sem Fronteiras em Boa Vista, capital do Estado de Roraima, que reuniu, desde o dia 02 de outubro, uma força tarefa composta por 41 Defensores Públicos de todo o país para analisar processos de 2200 custodiados em cinco das seis unidades penitenciárias do Estado.

O enviado da Defensoria Pública de Rondônia foi o Defensor Público Gilberto Leite Campelo, que atua no Núcleo da DPE-RO em Ji-Paraná.

Fases do Projeto

O trabalho em Roraima foi dividido em três etapas. Na primeira semana, os Defensores Públicos analisaram os processos dos custodiados por meio de um sistema informatizado.

A partir do dia 09 de outubro, os Defensores Públicos iniciaram um revezamento para continuar as revisões processuais e para realizar atendimentos individuais às pessoas presas dentro das unidades prisionais, trabalho que segue até o próximo dia 20, sexta-feira.

Defensor Público Gilberto Campelo, enviado da DPE-RO para o Defensoria Sem Fronteiras em RR.

Defensor Público Gilberto Campelo, enviado da DPE-RO para o Defensoria Sem Fronteiras em RR.

Já foram concluídos os atendimentos na Penitenciária Agrícola Monte Cristo (PAMC) e no Centro de Progressão de Penas da Penitenciária (CPP). Esta semana serão realizados os atendimentos na Cadeia Pública Masculina e Feminina de Boa Vista e na Cadeia Pública de São Luiz.

Até o dia 20 de outubro, alguns Defensores Públicos vão terminar as últimas análises processuais dos presos, ao passo que parte dos Defensores Públicos e servidores do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) farão os atendimentos in loco nas unidades. Ao final do força-tarefa, será produzido um relatório da situação carcerária do Estado de Roraima.

Defensoria Sem Fronteiras

O “Defensoria Sem Fronteiras” é um programa permanente do Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais (Condege), que reúne Defensores Públicos de todo o país para atuar em forças-tarefa para situações emergenciais.

O projeto já atendeu lugares como o Paraná, em 2014, nas cidades de Foz do Iguaçu, Londrina, Francisco Beltrão e Cascavel, totalizando 4 mil atendimentos e 9 mil processos analisados; Recife (PE) em 2015, mais de 5 mil custodiados atendidos; e, no mesmo ano, em Fortaleza (CE), onde foram atendidos jovens da Vara de Infância e Juventude.

Em janeiro de 2017, após os episódios que ficaram conhecidos como massacres nos em penitenciárias da região Norte e Nordeste do país, entre elas as de Manaus (AM) e do Estado do Rio Grande do Norte, firmou-se um termo de cooperação entre Ministério da Justiça e Segurança Pública, Condege e Defensoria Pública da União, com o apoio da Associação Nacional de Defensores Públicos (Anadep) e Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef) com validade de dois anos.

Os presídios do Rio Grande do Norte e Manaus foram os primeiros a serem atendidos após o termo. Em Manaus, 5600 pessoas presas tiveram seus processos analisados. No Rio Grande do Norte, foram analisados processos de 1200 presos provisórios.


Compartilhar