Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Defensoria participa do II Encontro de Mulheres da Segurança Pública de Rondônia

Publicado em:

Na segunda-feira, 3, a Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) participou do segundo Encontro de mulheres da Segurança Pública, promovido pela Polícia Civil do Estado (PC-RO) com a participação de profissionais da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (SESDEC), Polícia Militar (PM-RO) e Corpo de Bombeiros.

A Defensora Pública Maria Cecília Schimdt, representou a DPE-RO durante o encontro, falando sobre a importância da instituição na rede de proteção, e também sobre os crimes de violência sexual digital.

“O encontro é muito importante, justamente devido a promoção dessa integração dos órgãos de rede de proteção à mulher, porque, apesar de ser um encontro da Segurança Pública, a participação da Defensoria Pública só fortalece a união da rede, que é formada por diversos órgãos, como Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Mulher, a Polícia Civil e Militar e outros órgãos da organização civil que visam à proteção das vítimas de violência doméstica”, ressaltou a Defensora.

O convite à Defensora Pública foi feito pela Delegada Geral da Polícia Civil de Rondônia Walquiria Manfrói. O evento também contou com a participação da Delegada Adrian Viero, titular da Delegacia da Mulher em Porto Velho, e ainda como convidada especial, a Deputada Federal Mariana Carvalho, que será a madrinha do próximo encontro de mulheres da segurança pública, que será realizado em 2019.

Maria Cecília ressaltou que o evento aconteceu em momento oportuno. “O último dia 25 de novembro foi o dia internacional de combate à violência à mulher, além de estarmos dentro do período da campanha de 16 Dias de Ativismo Contra a Violência à Mulher”, relembrou.

Problemas virtuais, crimes novos

 Defensora Pública Maria Cecília Schmidt; Delegada Geral da Polícia Civil de Rondônia, Walquiria Manfrói;Delegada Adrian Viero, titular da Delegacia da Mulher em Porto Velho,

Defensora Pública Maria Cecília Schmidt; Delegada Geral da Polícia Civil de Rondônia, Walquiria Manfrói;Delegada Adrian Viero, titular da Delegacia da Mulher em Porto Velho,

Durante sua palestra, Maria Cecília Schimdt conceituou, diferenciou e esclareceu pontos sobre os constantes crimes virtuais que vem acontecendo nos últimos tempos, a importância das vitimas denunciarem tais práticas e a necessidade da adequação dos registros de ocorrência de tais delitos.

Entre os crimes citados foram: Pornografia de vingança, extorsão sexual (sex torsão, do inglês: sextortion) e estupro virtual, e, como base, a Lei Carolina Dieckmann. “Durante a palestra, eu explorei a tipificação penal de cada um destes termos, pois é um assunto muito novo e possivelmente a partir de agora haverá muitas ocorrências policiais em relação a estes tipos de condutas criminosas.

Pornografia de Vingança agora é crime

A Defensora Pública aponta também que no último dia 24 de setembro, foi criado o novo tipo penal, artigo 218-C do código penal, que criminaliza a divulgação de fotos ou vídeos com conteúdo de nudez e/ou pornográfico, sem o consentimento da vítima, que estabelece pena de 01 a 05 anos de prisão para quem comete o delito.

“A pornografia de vingança não era tipificada criminalmente até então. O novo artigo do código penal (218-C) traz, em seu parágrafo primeiro, uma causa de aumento de pena em casos em que o agressor faça divulgação do material digital para fins de vingança ou humilhação”, ressaltou Maria Cecília Schimdt.


Compartilhar