Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Pular para conteúdo principal

Defensores Públicos participam de projeto de Educação em Direitos da Pastoral Nacional da Saúde

Publicado em:

No último dia 19 de junho, sábado, a defensora pública Flávia Albaine e o defensor público Fábio Roberto de Oliveira participaram de forma virtual do segundo módulo do projeto de educação em direitos da Pastoral Nacional da Saúde, abordando o tema: “O direito à saúde e a luta por inclusão social da pessoa com deficiência: educação, parcerias e acessibilidade”.

Os defensores públicos abordaram aspectos teóricos e práticos do direito à saúde de pessoas com deficiência e analisaram as possibilidades práticas de atuação da instituição Pastoral de Saúde na efetivação do direito à saúde de pessoas com deficiência.

Este é o segundo módulo de um projeto de Educação em Direitos promovido pela Pastoral Nacional da Saúde em conjunto com defensoras e defensores públicos para debater o tema: Direito à Saúde e Acesso à Justiça. O defensor público Fábio Roberto dos Santos organizou os módulos em conjunto com o Coordenador da Pastoral da Saúde Nacional, Alex Gomes da Motta, e com a Diretora da Pastoral, Marlene.

“A Pastoral da Saúde Nacional me procurou para que fizéssemos 2 módulos de palestras falando do Direito à Saúde e Acesso à Justiça. No 1º módulo, que aconteceu no último dia 24 de abril, convidei a defensora pública Júlia da Defensoria Pública do Amazonas, e abordamos o tema: O Acesso à Justiça e o Direito à Saúde em uma sociedade covidiana: Sociedade civil organizada e Defensoria Pública”, explica o defensor público Fábio Roberto.

A defensora pública Flávia Albaine ressaltou os pontos positivos dessa parceria. “A Pastoral Nacional da Saúde é formada por pessoas do Brasil inteiro. E a troca com eles foi muito rica. Desta forma, os componentes da Pastoral ganharam mais conhecimento e mais autonomia nas suas possibilidades de atuação e nós (Defensores Públicos) tivemos a oportunidade de aprender também um pouco mais sobre o trabalho do Terceiro Setor, que é composto por organizações sem objetivos de lucro e dedicadas às questões sociais”, ressaltou a defensora pública Flávia Albaine.

Pastoral Nacional da Saúde

A Pastoral Nacional da Saúde nasceu da união de pessoas em todo o Brasil com o objetivo de acolher, promover, cuidar, educar, defender e celebrar a vida humana. Desde 1986, a Pastoral Nacional da Saúde integra oficialmente a rede de Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Se apresenta como um organismo de ação social e sociedade cívico-religiosa, organizada por tempo indeterminado e com sede itinerante, sem fins lucrativos e legalmente constituída por Estatuto e Regimento Interno próprios. Desenvolve o seu trabalho em três áreas de atuação: Solidária, Comunitária e Político-Institucional.


Compartilhar