Pular para conteúdo principal

Defensoria realiza Roda de Conversa em homenagem ao Julho das Pretas no Centro de Ressocialização Suely Maria Mendonça

Publicado em:

A Defensoria Pública do Estado de Rondônia, por meio do Centro de Estudos da instituição, do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos e da Coletividade (Nudhc), do Núcleo Especializados de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), e da Ouvidoria-Geral, realizou nesta quarta-feira, 20, a roda de conversa em homenagem ao Julho das Pretas no Centro de Ressocialização Suely Maria Mendonça em Porto Velho.

O evento contou com atrações musicais, momento de falas das defensoras, defensores, convidadas e convidados, e um lanche servido às mulheres em situação de privação de liberdade ao final do evento, pela equipe da Cáritas Arquidiocesana de Porto Velho.

O início do evento contou com a apresentação da cantora e servidora da Defensoria Pública do Estado de Rondônia, Silvânia Pinto de Souza, que apresentou duas músicas aos presentes. Logo após aconteceu a fala da ativista cultural Marcela Bonfim, que discursou a todas e a todos presentes, além de apresentar uma música em momento posterior. 

Dando sequência ao evento, aconteceu a fala da advogada Brígida Amanda, Vice-Presidente da Comissão de Igualdades Racial e Verdade da Escravidão Negra, que falou aos presentes sobre a sua vivência como mulher negra e as principais barreiras que enfrentou em sua trajetória como advogada.

Na sequência, falaram às mulheres presentes a defensora pública Rithyelle de Medeiros Bissi do Nascimento, atuante na área da Execução Penal, e o defensor público Fábio Roberto de Oliveira Santos, que mantém o projeto “Direitos Humanos em conexão com você”. Fábio Roberto falou sobre racismo e seus desdobramentos na vida das pessoas negras e deixou uma palavra de reforço positivo às mulheres do Centro de Ressocialização.

Logo após, discursaram aos presentes, as defensoras públicas Débora Machado Aragão, coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem) e Silvia Primila Garcia Raskovisch, Diretora do Centro de Estudos da Defensoria Pública. Débora Machado ressaltou a questão do recorte de gênero aplicado à questão das pessoas em situação de privação de liberdade.

“Foi uma enorme alegria para a Defensoria Pública do Estado de Rondônia viabilizar e participar da Roda de Conversa em homenagem ao Julho das Pretas, comemorado no dia 25 de julho, no Centro de Ressocialização Sueli Maria Mendonça. O evento contou com a participação ativa das presas, tanto nas palestras como no decorrer da apresentação cultural. Sem dúvida, foi uma oportunidade de resgate da historiografia e ancestralidade das mulheres negras, em especial através da menção à heroína brasileira Tereza de Benguela”, ressaltou a defensora pública Silvia Raskovisch, diretora do Centro de Estudos.

Dando sequência ao evento, discursaram aos presentes os convidados: o pesquisador do CNPQ e do Grupo de Pesquisa e Intervenções sobre Violência e Subjetividade da Faculdade de Psicologia da Universidade Federal do Ceará (UFC), Marcus Giovani, que leu um trecho do livro: Minha Carne: Diário de uma prisão, da escritora Preta Ferreira, que narrou sua trajetória após permanecer presa injustamente; e a Membra da Frente Estadual pelo Desencarceramento do Rio de Janeiro, Coordenadora Estadual do Programa “Fazendo Justiça do CNJ”, em parceria com o PNUD/ONU, Ariane Caçador, que também deixou sua fala às mulheres do Centro de Ressocialização.

Encaminhando para o fim do evento, aconteceu a apresentação musical da cantoria Déborah Lee de Sá Vilela, servidora da Defensoria Pública do Estado de Rondônia. Logo após, a equipe da Cáritas Arquidiocesana de Porto Velho também deu seu recado às mulheres do Centro de Ressocialização, convidando-as para participar do lanche reservado a elas.


Compartilhar

Skip to content